69ª ASSEMBLÉIA - 2004 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

Ir em baixo

69ª ASSEMBLÉIA - 2004 - RESUMO DE ENSINAMENTOS Empty 69ª ASSEMBLÉIA - 2004 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

Mensagem por Josafá Agra em Dom 07 Dez 2014, 05:44

CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

TÓPICOS DE ENSINAMENTOS

69ª ASSEMBLÉIA - 2004

69ª ASSEMBLÉIA - 2004 - RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO - 07 A 11 DE ABRIL DE 2004

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

Atencão: Somente os tópicos a seguir, assinalados com aste­risco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade.

* 1 - SOBRE O "AMÉM" NOS CULTOS

Os irmãos ou irmãs que orarem e testemunharem nos cultos e os que pregarem a Palavra, não devem dizer, eles mesmos, o “amém” ao encerrar a oração, o testemunho ou a pregação. Devem esperar que a irmandade confirme com o “amém”.

Se o que está presidindo, ele mesmo for ler a Palavra, não é necessário que diga, novamente, “Deus seja louvado”, antes de iniciar a leitura.

* 2 - EXPRESSÕES INADEQUADAS NOS TESTEMUNHOS

Muitos irmãos, ao testemunhar dizem: “Deus me deu a felicidade de nascer de pais crentes”; “eu nasci na graça”; outros dizem: “eu não tive a felicidade de nascer de pais crentes”. Não é necessário dizer que quando nasceu seus pais já eram crentes; isto dá a impressão de um desnível entre a irmandade; essa distinção levanta um e humilha o outro. Tudo o que possa manifestar diferença, desnível, entre a irmandade, deve ser eliminado. No evangelho de São João vem dito que Jesus “veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus.” O Senhor Jesus derrubou a parede da separação; são todos nascidos de Deus, sejam judeus, sejam gentios; sejam de pais crentes ou não; a Graça de Deus iguala a todos.

* 3 - SANTA CEIA - RECONCILIAÇÃO

Se algum irmão ou irmã cometeu uma falta grave diante de Deus, deverá falar primeiramente com o ministério, com alguns dias de antecedência, para saber se tem condições de se levantar perante a irmandade e pedir perdão. Outrossim, não é preciso esperar o dia da santa ceia para levantar e pedir perdão.

* 4 - SINDICATOS, ASSOCIAÇÕES DE CLASSE E ASSOCIAÇÕES DE MORADORES

Aconselhamos a irmandade a não participar da direção de sindicatos, associações de classe ou associações de moradores. A Congregação não se envolve em assuntos estranhos à doutrina. Se um irmão tiver que pertencer a um sindicato, poderá fazê-lo, porém, não deverá ocupar cargos de direção, uma vez que tais


cargos são sempre partidários, gerando divergências incompatíveis com o nosso sentimento de paz.

Da mesma forma, não devemos nos envolver em movimentos de protestos ou invasão de terras, quer na área urbana, pretendendo a posse de imóveis na cidade, quer na área rural, invadindo glebas de terras. Porém, se em alguma localidade o Governo fizer distribuição de imóveis e um irmão quiser se cadastrar para receber essa doação, não há inconveniente.

* 5 - SERVIÇO DIVINO NOS FUNERAIS - ÓSCULO SANTO

O serviço divino a ser feito nos funerais deve ser julgado de acordo com o momento. Iniciamos o serviço em Nome do Senhor Jesus, cantamos um hino (desde que a familia esteja de acordo que se cante) e oramos; pregamos a Palavra, fazemos a oração de agradecimento, cantamos mais um hino e encerramos o serviço.

Nos funerais os irmãos não devem saudar-se com o ósculo santo, devido à aglomeração de pessoas estranhas à nossa fé.

Em nossos cultos, sejam regulares ou de evangelização, tenhamos prudência a respeito do ósculo santo, com as pessoas novas que estão nos visitando.

* 6 - CONVITES DE AGÊNCIAS PARA VIAGENS AO EXTERIOR

Ultimamente muitos irmãos têm sido vitimas de agências de viagens que prometem trabalho e moradia em diversos paises, mediante o pagamento de uma certa quantia. Ocorre porém que, quando chegam a essas nações estrangeiras, os irmãos não encontram emprego, são obrigados a morar em condições precaríssimas, junto com estranhos à fé e forçados a aceitar uma documentação falsificada que pode sujeitá-los até à prisão. A irmandade deve ser advertida e alertada contra esse procedimento.

* 7 - BOMBARDÕES E INSTRUMENTOS DE SOPRO NAS ORQUESTRAS

Tem-se notado ultimamente um número excessivo de instrumentos de sopro, principalmente bombardões, em muitas de nossas orquestras. Onde já existe uma quantidade suficiente, o ministério local deve vigiar para que não ingressem mais essas categorias de instrumentos.

Ainda nessas localidades deve-se, também, exortar os irmãos que tocam bombardões, bem como demais instrumentos fortes de sopro, que reduzem à metade o volume de som de cada um, quando tocarem nos santos cultos.

Outrossim, quando um irmão demonstrar interesse em aprender a música para tocar na igreja é conveniente que consulte, primeiramente, o irmão encarregado para saber qual a categoria de instrumento que a orquestra mais necessita.

ATENCÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO

8 - "ANCIÃO DA MÚSICA"

Os anciães, em comunhão, deliberam que não haja mais o título de "ancião da música". Os que estão atendendo a parte musical vigiem sobre ela, sem que haja um domínio e estejam unidos ao ministério local e sujeitos aos anciães mais


velhos. Tudo deve depender do parecer dos mais antigos da região.

A presidência dos ensaios regionais deve ser feita por todos os anciães e não sempre pelo mesmo.

Aos anciães, diáconos e cooperadores que foram encarregados regionais não cabe mais a parte da regência nos ensaios.

9 - QUANTIDADE DE ORGANISTAS NAS IGREJAS

O número de irmãs estipulado, há muitos anos, para compor os rodízios, é de três organistas por dia de culto. Porém, em localidades onde houver necessidade esse número poderá ser acrescido, conforme deliberação dos anciães, submetendo o assunto previamente à consideração da reunião regional.

10 - ENCARREGADOS REGIONAIS E EXAMINADORAS

Já há alguns anos foi deliberado de não se colocar mais encarregados regionais e irmãs examinadoras, a não ser em casos excepcionais. Porém, aos poucos essa deliberação foi sendo esquecida e agora frequentemente apresenta-se para orar por novos encarregados regionais e novas examinadoras.

Doravante só se orará em caso excepcional, considerado previamente entre os anciães mais velhos, inclusive para julgar se há real necessidade e se o irmão (ou irmã) está preparado, se realmente tem condições para exercer esse cargo.

11 - O SANGUE NÃO É A ALMA DO HOMEM - A ALMA DO HOMEM É A VIDA. - (Tópico 43, de 1980)

O sangue é a alma dos animais. Por isso o Espírito Santo proibiu comer sangue ou comer a carne com o sangue dos animais. Mas, quanto ao homem, sua alma não é o sangue. Sua alma é a vida que ele tem no corpo. Alma: A Palavra de Deus às vezes se refere ao espírito, às vezes à alma, às vezes à vida e às vezes ao homem. Quando Deus fez o homem o fez de barro. O homem tinha sua imagem e não vida. Era inanimado, sem respiração, sem movimento, sem raciocínio. Era como uma estátua. Porém, o Senhor soprou nas suas narinas o fôlego da vida, o espírito imortal. E então o homem foi feito alma vivente - na junção do espírito com o corpo surgiu a vida, conforme está escrito: “E FORMOU O SENHOR DEUS O HOMEM DO PÓ DA TERRA, E SOPROU EM SEUS NARIZES O FÔLEGO DA VIDA; E O HOMEM FOI FEITO ALMA VIVENTE". (Gênesis 2:7) A alma é a vida. O homem, quando pecou, perdeu a vida, pois fora criado para viver eternamente. Mas teria domínio só nas coisas da terra. Nela viveria por todo o sempre. Seu paraíso era o terreno. Não entraria nos céus. O Senhor Jesus velo para nos dar um paraíso muito melhor onde governaremos e reinaremos sobre todas as coisas, junto a Deus Pai, com Ele, Jesus Cristo. O fim da fé é a salvação da alma (a salvação da vida). Quando o espírito sai do corpo, a vida desaparece deste. Quando o homem morre, rendendo o espírito, sai-lhe a vida do corpo. O corpo volta a ser inanimado, sem movimento, sem voz, sem respiração, sem raciocínio. Decompõe-se. O sangue paralisa dentro das veias, vira uma massa. Então, a alma não é o sangue. A alma é a vida. Carne e sangue não herdarão o reino de Deus. Mas nossa alma entrará na glória eterna, pois a alma é a vida. Jesus morreu para dar-nos a vida, para salvar a vida do homem. Após Jesus padecer sobre a cruz, expirou. Desceu ao túmulo por nós. Mas ao


terceiro dia ressuscitou triunfante e glorioso e saiu do túmulo vencendo a morte. Venceu tudo por nós. E vive para todo o sempre. Amém. Pela mesma semelhança na ressurreição corporal dos mortos, o nosso espírito se unirá outra vez ao nosso corpo, o qual será transformado para ser igual ao corpo de Jesus, trazendo assim a imagem de Cristo ­porque só aquela imagem é eterna. Da nova junção do espírito com o corpo transformado surgirá novamente a alma do homem, que viverá eternamente, subirá para a glória dos céus. Para estar com o Senhor por todo o sempre. Por isso está escrito: "E TODO O VOSSO ESPIRITO, E ALMA, E CORPO, SEJAM PLENAMENTE CONSERVADOS IRREPREENSÍVEIS PARA A VINDA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO". Então, cumprido será o que vem dito: "TRAGADA FOI A MORTE NA VITÓRIA". O mundo também será ressuscitado porque a morte já foi abolida. O mundo terá a vida eterna também. Mas não com gozo e glória e sim para vergonha, desprezo e sofrimento eterno no fogo que nunca se apagará. Esta é a segunda morte. Como Cristo ressuscitou por todos, também todos voltarão. Os que fizeram a vontade do Senhor e creram n'Ele, terão parte na primeira rassurreição. Mas os outros mortos não farão parte desta primeira ressurreição. Ressuscitarão depois, para o dia do juizo e serão julgados cada um segundo as suas obras.

12 - CULTOS COM TRADUÇÃO PARA DEFICIENTES AUDITIVOS

Onde houver necessidade e tenha algum irmão ou irmã em condições de fazer a tradução para deficientes auditivos, o ministério da região considerará e poderá abrir a liberdade para a realização periódica desses cultos.

Quem fizer essa tradução não deverá subir ao púlpito e nem colocar-se defronte ao mesmo, em local de multa evidência, para não tirar a comunhão da irmandade.

13 - PRESIDÊNCIA DO CULTO

Ancião que congrega em outra localidade em visita, poderá presidir os cultos, desde que lhe seja oferecida a oportunidade pelo servo local e que se sinta movido por Deus. Os servos em missão presidem os santos serviços.

Outrossim, quando o servo de Deus não conhece uma pessoa, deve usar de franqueza e não ir entregando, de qualquer maneira, o lugar onde Deus o colocou. Dar oportunidade ou convidar para ler a Palavra, só deve ser feito a irmãos que conhecemos, quando formos por Deus guiados a fazê­-lo.

14 - MINISTÉRIO E ADMINISTRAÇÃO - ENTROSAMENTO

Deve haver um bom entrosamento entre o Ministério e a Administração em tudo o que concerne à parte material e administrativa da Obra de Deus. As deliberações devem ser tomadas em conjunto, nas reuniões, e não somente por um irmão. Há irmãos do ministério resolvendo tudo sozinhos, dando ordens e tomando atitudes que podem comprometer a Congregação.

Da mesma forma, nenhum administrador deve tomar medidas isoladas, sem o conhecimento e a concordância do ministério e dos demais administradores.

15 - PREGAÇÕES

Nota-se que, mesmo em batismos e santas ceias, alguns se preocupam mais


em pregar promessas e libertações, afastando-se do objetivo principal daquele santo serviço. Nos batismos deve ser mencionado e esclarecido o fundamento desse santo mandamento, conforme disse o Senhor Jesus: "Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado." Portanto, a finalidade principal do batismo é o perdão dos pecados e a salvação da alma. Depois, vêm os sinais que confirmam e acompanham os que crerem.

Nas santas ceias é necessário explicar o fundamento dessa santa celebração, conforme consta nos evangelhos: "E, quando comiam, Jesus tomou o pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; Porque isto é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados." (São Mateus, 26:26-28).

Nos funerais deve-se falar sobre a ressurreição e a esperança da vida eterna, pois há os que pregam e falam pouco sobre essa parte.

Os que pregam devem se ater àquilo que foi lido. Todas as pregações devem ser edificadas sobre o alicerce do que foi lido.

16 - BATISMOS

Anciães que atendem batismos não devem forçar as pessoas a se batizarem, com insistências ou ameaças. As pessoas deverão ser batizadas quando estiverem convertidas por Deus.

Lembramos que as palavras para batizar as pessoas devem ser: "Irmão, Em Nome de Jesus Cristo te batizo, Em Nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo".

17 - PESQUISAS SOBRE A CONGREGAÇÃO

Irmãos do ministério, da Administração, comodatários ou porteiros, recebendo formulários de pesquisa sobre a Congregação (desde que não sejam de órgãos governamentais), não deverão responder.

18 - LEITURA DOS TÓPICOS NAS CONGREGACOES

Nas congregações onde não há ancião, o cooperador poderá ler os tópicos de ensinamentos para a irmandade. Quando algum cooperador tiver dúvida ou não tiver franqueza suficiente, poderá pedir ao ancião da região para ler.

19 - CASAMENTO DE SERVOS VIÚVOS COM IRMÃS DIVORCIADAS

O Conselho de Anciães delibera que, irmãos do ministério que enviuvarem e desejarem casar com irmãs divorciadas, deverão previamente submeter o assunto à consideração do ministério da região que deliberará, segundo a guia de Deus.

20 - ESTATUTO DA CONGREGAÇÃO - REFORMA

Cada Administração deverá aguardar o envio, pela Administração São Paulo, do novo Estatuto devidamente aprovado e registrado. Após, deverá ser convocada uma Assembléia Geral Extraordinária em cada localidade, para sua ratificação e posterior registro no órgão competente.

21 - ADMINISTRAÇÕES NOVAS

Antes de se constituir uma nova Administração deverá ser considerada a sua real necessidade, levando-se em conta, principalmente, os ônus financeiros, as dificuldades burocráticas, obtenção de CNPJ, e também: a) o valor das coletas; b) o número de irmandade; c) se há irmãos aptos para constituir a Administração e o Conselho Fiscal, com situação regular perante a Receita Federal, especialmente comerciantes, oriundos de outras localidades, etc.; d) se há local apropriado para a instalação dos trabalhos administrativos, arquivo, segurança, etc.; e) a distância dos órgãos governamentais para registro de documentos e fiscalização (Cartório, Receita Federal, INSS, CREA, etc.); f) a distância da Administração descentralizadora, que deverá assessorá-la por três anos.

Deverá ser remetido à Administração São Paulo o questionário próprio, com informações da constituição da Administração, para fins de cadastro.

Enquanto não estiver consolidada a reforma estatutária não deverão ser constituídas novas Administrações.

22 - CONSELHO FISCAL - CONDIÇÕES FACE AO NOVO CÓDIGO CIVIL

Em obediência à legislação pertinente não deverão ser colocados no Conselho Fiscal irmãos que sejam parentes até o terceiro grau de Administradores (pais, filhos, netos, avós, irmãos, tios, sobrinhos, sogro, genro e cunhados).

As situações já existentes deverão ser, aos poucos e na medida do possivel, adequadas a essas exigências legais.
Josafá Agra
Josafá Agra

Mensagens : 214
Data de inscrição : 19/11/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum